Serra

Gisele Paulo

Coletivo Busina e
Esquadrão Dandara

Música

Jamilly Lemos dos Santos

Arte e Cultura digital

Gisele Paulo, jovem, negra, estudante bolsista graduanda em Serviço Social pela UniSales (Centro Universitário Salesiano), Produtora Cultural, empreendedora capixaba, ativista, artista independente, moradora da região serrana periférica do Estado do Espírito Santo. Faço parte do corpo de membros do Fórum Estadual da Juventude Negra do Espírito Santo polo Serra, artista do coletivo BUsina fundado complexo da Maré/RJ, atuando ao lado de vários artistas independentes de todos os Estados do Brasil. 

Empreendedora negra, realiza trabalhos de fotografia, filmagens e customização em camisas como garantia de renda. Produtora Cultural, participo e realizo alguns projetos em meu território, um deles é o coletivo/banda Esquadrão Dandara que surgiu através de um trabalho da matéria de Projeto da própria faculdade.

Eu me chamo Jamilly Lemos dos Santos, mulher negra, 25 anos, pisciana, estudante de Pedagogia e amante das belas artes da vida. Gosto de me envolver nas questões sociais sobretudo referente à questões étnicas e políticas. Amo estudar sobre literatura marginal, por
isso eu componho um coletivo de poesia do Espírito Santo chamado "Poesia Inútil". Adoro estar em constante atividade social, por isso eu participo de alguns coletivos sociais, sendo eles Coletivo Nós Por Nós do município da Serra, o Fórum Estadual da Juventude Negra do Espírito Santo, a startup capixaba de desenvolvimento socioambiental Coriolís e o Educa Basquete, projeto social para crianças e jovens na Serra. Amo estar sempre ligada à questões artísticas, principalmente à dança e a poesia, e pretendo movimentar isso na minha comunidade.

Comunicativa e apaixonada pela vida, tenho habilidade de lidar com o público de forma compreensiva e versátil. O meu empreendimento tem sido no empreendedorismo social ao estudar mais sobre isso e aplicar nos coletivos em que componho.
Atualmente, procuro falar no meu perfil pessoal do instagram sobre política e empreendedorismo social e de forma aleatória sobre dança e poesia.

O projeto surgiu quando tivemos a consciência de que seriamos no atual período, uma das poucas jovens negras a ocupar uma instituição privada, surgindo então a necessidade de afirmação contra todas formas de preconceitos institucionalizados que NÓS negros, sobretudo mulheres sofremos diariamente.

O coletivo/ banda objetiva, através da arte incentivar os adolescentes, jovens e mulheres da periferia à emancipação e ao desenvolvimento musical, mostrando a importância de falar sobre artistas negros como referência, e da importância do protagonismo, bem como da autoafirmação dos mesmos como sujeitos de direitos e deveres conforme previsto na Constituição Federal de 1988 e nos direitos assegurados pelos Estatutos da Criança e do Adolescente e Estatuto da Juventude.

Nadine Luiza 

Literatura

Nadine Luiza tem 25 anos, é nativa de Jacaraípe na Serra - ES, graduanda em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Espírito Santo, é artista multidisciplinar e educadora. Gosta de estar sempre em contato com a natureza, onde revigora suas energias para continuar existindo na cidade. Atualmente seu maior sonho como artista é pintar uma empena de algum edifício no centro de Vitória.

Atua no movimento Hip Hop como graffiteira desde 2013. A democratização da arte em espaços públicos foi um dos motivos iniciais que a incentivou a começar a pintar as ruas do bairro onde mora, e posteriormente o graffiti a possibilitou conhecer outros bairros da Grande Vitória e fomentou ainda mais o desejo de ingressar na Universidade pública. 

Atualmente desenvolve pesquisas que vem abrangendo a sua relação com a espiritualidade e ancestralidade, buscando representar o seu sagrado interno e a presença de seus ancestrais em caminhos e lugares por onde passa. Com propósitos de refletir poder na criação de imagens, exaltando a soberania africana e saberes ancestrais.

Paulo Afonso

Arte e Cultura Digital

Cursei Design e hoje estudo Direito. Apaixonado pela indústria criativa e pela luta por inclusão com diversidade. Criador de conteúdo para o Instagram, onde falo sobre mim, política, arte, negócios e tendências. 

 

Presto consultorias para empreendedores que estão iniciando seus negócios, além de trabalhar com gestão de branding e criação de conteúdos para empresas. Amo fazer publis, gravar podcasts, curtas e ser fotografado por pessoas sensíveis que criam ensaios arrojados e conceituais.

Untitled-1.png

Emerson de Souza Honório

Literatura

Ola meu nome é Emerson sou um escritor, minha escrita vem da minha vivência cresci nas ruas da grande Vitória, as palavras me salvaram de um destino cruel e ajudou aliviar uma vida à margem da sociedade mesmo sem o ensino médio completo descobri que escrever não precisa ser algo em um quadrado de regras moldado para nos afastar desse conhecimento, tenho como meta contar minha história e passar todo conhecimento que adquiri com as ruas e as pessoas que conheci, sou uma pessoa muito tímida uso minha literatura como um refúgio uma forma de me expressar e espalhar o meu ponto de vista que é único,através do curso Nós da Cultura ganhei mais que um estímulo para finalizar meu livro obtive um objetivo um rumo para minha vida e para minha arte e acendeu em mim a vontade de voltar a estudar para poder alcançar minha meta que é um dia me tornar um diretor de filmes para poder fazer que meus escritos possam ser vistos até por quem não sabe ler.

Meu projeto é o meu terceiro livro: Coleção coisa nova e entrelinhas ,junto com a editora Bolekaja que tem como princípio a produção artesanal de livros e a ideia de que todos podemos escrever e incentivar escritores periféricos da grande Vitória a compor e participar de toda produção do seu próprio livro , neste livro quero trazer um aspecto mais profissional pretendo fazer uma campanha de financiamento coletivo para poder produzir com o melhor material possível , no livro vou juntar algumas poesias minhas que mais gosto , vou trazer uma pegada mais íntima com cartas numa linguagem pessoal, uma conversa direta com o 

Alycia Cinara

Artes
Visuais

Me chamo Alycia Cynara, sou parda, tenho 1,65cm aproximadamente de altura, eu nasci em vila velha, e cresci na Serra, em dois mil e dezenove fiz o Enem atingindo a pontuação necessária para cursar uma faculdade púbica, decidi cursar em Venda Nova Do Imigrante, para criar valores culturais, ter uma nova experiência de vida, e focar cem por cento nos estudos, mas fomos surpreendidos por uma pandemia, que fez com que eu voltasse para as minhas raízes, com  isso, me tornei mãe de um Akita Inu, o Ryuu, e de dois gatos, Sócrates e Frida.

Sempre sonhei com a dança e o mundo artístico, eu faço ballet clássico e dança contemporânea, toco Clarinete, amo música clássica e Blues, faço parte do grupo LGBTQI, sou aspirante a artísta, faço desenhos e pinturas, e meu sonho é se tornar tatuadora, para abrir minha própria academia de arte corporal e cênicas, aprendi muito com o Curso nós por nós, desde ter uma linguagem passiva para tratar com meus clientes e a sociedade, até saber  criar e manter uma empresa, divulgações, atualidades, movimentos, cultura, criações de porflolio, tecnocracia, tudo isso e muito mais em apenas um curso, também vi o grande valor cultural africano, que é a base da minha arte, me gratifiquei com esse curso e me encontrei, conheci pessoas incríveis, pessoas como eu sou, foi como estar em casa, seguro e amado.

Meu trabalho atual é como garçonete, e quando tenho a oportunidade faço tranças nagôs e rastafari, mas busco fazer cursos de tatuagem ainda esse ano, para abrir meu studio, meu hobbie é escrever, poesias, frases, textos e livros

leitor, também vou explorar o mundo dos contos , a minha proposta é transformar esse trabalho num roteiro para o meu primeiro curta é um projeto dentro de outro projeto, ainda não terminei o livro mais já estou na finalização e graças ao curso Nós da Cultura consegui me organizar e agilizar esse projeto. 

Meu trabalho atual é como garçonete, e quando tenho a oportunidade faço tranças nagôs e rastafari, mas busco fazer cursos de tatuagem ainda esse ano, para abrir meu studio, meu hobbie é escrever, poesias, frases, textos e livros